Evo Morales adia eleições regionais da Bolívia para 2010

Previsto anteriormente para janeiro de 2009, pleito é adiado devido aos acordos entre governo e oposição

Efe,

24 de outubro de 2008 | 21h25

O presidente da Bolívia, Evo Morales, informou nesta sexta-feira, 24, que as eleições de todos os governadores regionais e prefeitos do país serão adiadas até 4 abril de 2010 por causa dos acordos obtidos entre governo e oposição esta semana. Dessa forma, ficaram suspensos as eleições previstas 25 de janeiro de 2009 para escolher os novos titulares das Prefeituras de La Paz e Cochabamba, atualmente dirigidas pelos interinos Pablo Ramos e Rafael Puente, respectivamente. Veja também:Corte eleitoral pede fim do sítio em Pando Governo boliviano prevê que nova Carta tenha 90% de apoio Em agosto, os então governadores regionais opositores de La Paz José Luis Paredes e de Cochabamba Manfred Reyes Villa foram retirados de seus cargos em um referendo sobre mandatos. Os governadores regionais que foram ratificados, da mesma forma que os prefeitos do país, deviam cumprir sua gestão em dezembro de 2009, mas pelos acordos políticos obtidos no Congresso, seus mandatos foram prorrogados até as eleições fixadas para 4 de abril de 2010. Os convênios políticos estabelecem também que em 25 de janeiro seja realizado o referendo sobre o projeto de nova Constituição que esta semana foi acordada pelo partido de Evo e a oposição, após intensas negociações de várias semanas. O convênio político inclui a realização de eleições gerais para renovar o Executivo e o Legislativo em 6 de dezembro de 2009, às quais Evo, que governa a Bolívia desde janeiro de 2006, voltará a concorrer.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaEvo Morales

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.