Evo quer discutir autonomia com Departamentos revoltosos

Pedido de diálogo sobre a autonomia acontece um dia após o presidente apresentar a nova Constituição

Agências internacionais,

16 de dezembro de 2007 | 17h20

Um dia após apresentar uma nova Constituição, o presidente boliviano, Evo Morales, pediu neste domingo, 16, a volta à mesa de diálogo dos quatro Departamentos que pretendem ter autonomia em relação a La Paz.   Veja também: Departamentos preparam autonomia  Oposição enfrenta Evo Morales na Bolívia   "Agora é a hora de começar o diálogo", disse Evo, segundo a agência de notícias France Presse, referindo-se aos Departamentos de Santa Cruz, Tarija, Beni e Pando - contrários à nova Carta e que proclamaram sua autonomia no sábado.   Os líderes das quatro regiões revoltosas, onde estão as reservas de gás natural e a indústria agrícola, afirmam que a nova Constituição é uma apropriação ilegal do poder, pois as reformas foram aprovadas pelos partidários de Evo durante um boicote da oposição.   "Começaremos a conversar com base na nova Constituição", acrescentou. "Primeiro é preciso que a lei das autonomias seja aprovada; em seguida, tem de complementar com os estatutos autônomos, sejam estes departamentais, regionais, provinciais e indígenas, especialmente."   Diante das reiteradas negativas de diálogo por parte dos Departamentos revoltosos, Evo afirmou: "Estamos espetando para conversar". "Quero dizê-los que agora é a hora de começar a dialogar."   Mesmo com o crescimento das tensões nos últimos dias, Evo descartou a possibilidade de decretar lei marcial. Funcionários do governo disseram, porém, no sábado, que a força poderia ser usada caso qualquer ação separatista ocorresse.

Tudo o que sabemos sobre:
EvoBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.