Evo será submetido à operação para corrigir desvio de septo

Doença causa fortes dores de cabeça no presidente boliviano e já o fez cancelar viagens e outros compromissos

Efe,

25 de outubro de 2008 | 21h12

O presidente da Bolívia, Evo Morales, que fará 49 anos no domingo, 26, afirmou neste sábado que seus médicos recomendaram que ele se submeta a uma operação por causa de uma doença que lhe dá "dor de cabeça", mas não disse do que se trata. No entanto, a Agencia Boliviana de Información (ABI, estatal) afirma que se trata de uma cirurgia para corrigir desvio de septo.   Veja também: Evo Morales adia eleições regionais da Bolívia para 2010 Corte eleitoral pede fim do sítio em Pando Governo boliviano prevê que nova Carta tenha 90% de apoio   "Há uma recomendação de operação. Veremos isso no Gabinete: quando e como poderei me submeter a uma operação", disse Morales aos jornalistas em uma breve declaração sobre o assunto ao sair do Palácio de Governo.   Morales confirmou que, por "razões de saúde", suspendeu na sexta uma viagem a Pando na qual participaria de um ato de entrega de máquinas ao Governo do departamento, mas quem compareceu foi o vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera.   García Linera comentou no evento que Morales tinha sofrido uma "pequena recaída de uma doença que teve há uma semana" e que seus médicos o obrigaram a repousar. No entanto, o presidente boliviano voltou neste sábado a suas atividades cotidianas e se reuniu com a missão designada pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul) que investiga as mortes ocorridas em Pando em setembro em choques entre governistas e opositores.   Na semana passada, os médicos também tinham recomendado a Morales suspender todos os seus compromissos no sábado e no domingo após sofrer dores de cabeça e no ouvido, mas ele voltou a trabalhar.   Morales tem uma agenda diária intensa que habitualmente começa com reuniões às 5h e viagens a vários pontos do país, que o fazem dormir tarde. O presidente boliviano não descansa nos finais de semana e não tirou férias desde que chegou ao poder, após as eleições presidenciais de 2005, segundo fontes oficiais.   Matéria atualizada às 22h07

Tudo o que sabemos sobre:
Evo MoralesdoençaBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.