Ex-bispo Lugo lança candidatura à presidência do Paraguai

Ex-eclesiástico desistiu da religião para concorrer nas eleições e tentar levar oposição ao poder após 60 anos

Agência Estado e Associated Press,

06 de agosto de 2007 | 19h08

Um ex-bispo católico que deixou as ordens eclesiásticas para concorrer à presidência do Paraguai anunciou oficialmente no domingo a sua campanha, para o pleito de abril de 2008, mas apenas 200 pessoas estiveram no lançamento da sua candidatura. Fernando Lugo desafiará o regime de seis décadas de duração do Partido Colorado e foi saudado por partidários em Villa Hayes, perto da capital Assunção. Lugo deixou o cargo de bispo na Igreja Católica Romana em dezembro, já que a Constituição do Paraguai proíbe que clérigos ocupem cargos públicos. Ele tem o apoio do maior partido de oposição no Paraguai, o Partido Liberal Radical Autêntico, e também de grupos sociais, de trabalhadores e camponeses. Críticos dizem que a campanha de Lugo será muito difícil, já que não conseguiu formar uma coalizão com outros dois partidos de oposição. De qualquer maneira, sua candidatura, agora confirmada, passou a contar com o forte apoio dos radicais autênticos em junho.  O presidente do Paraguai Nicanor Duarte, do Partido Colorado, tentou barrar a candidatura de Lugo nos tribunais ao alegar que a lei proíbe a participação de clérigos na política. A ex-ministra da educação, Blanca Ovelar, é a candidata dos colorados à presidência paraguaia. Como muitos paraguaios, Lugo culpa os colorados pela economia cambaleante, corrupção desenfreada e políticas que favorecem a elite, ao invés da maior parte do povo. O Vaticano recusa-se a aceitar a renúncia de Lugo ao cargo de bispo, ao dizer que o status da ordenação é "para toda a vida." O chefe da Conferência Paraguaia de Bispos diz que Lugo pode sofrer a excomunhão se persistir em sua campanha.

Tudo o que sabemos sobre:
ParaguaiLugo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.