Ex-embaixador colombiano é preso por ligação paramilitar

Procurado pela Interpol, Salvador Arana Sus é acusado pela morte de prefeito em abril de 2003

Efe,

30 de maio de 2008 | 12h05

O ex-embaixador da Colômbia no Chile Salvador Arana Sus, ligado ao homicídio de um prefeito e à integração de grupos paramilitares, foi detido na quinta-feira em um luxuoso apartamento no balneário de Santa Marta (norte), confirmaram as autoridades nesta sexta-feira, 30.   Arana Sus, cujo nome e fotografia estavam incluídos na "circular vermelha" da Interpol, a polícia internacional, fugia das autoridades desde 2007. Agentes de Corpo Técnico de Pesquisas (CTI) da Promotoria colombiana detiveram o ex-diplomata, acusado de ser responsável pela morte do prefeito de El Roble (Sucre) Eduardo Díaz em abril de 2003.   Dois meses antes de ser assassinado, Díaz denunciou em um conselho comunal de governo, e perante o presidente colombiano, Álvaro Uribe, seus temores de que seria alvo dos paramilitares da extrema direita das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC). Arana Sus será levado nesta sexta-feira de Santa Marta a Bogotá para a sede da Procuradoria Geral, que decidirá onde ficará detido, assinalaram fontes do órgão acusador.   O nome do ex-embaixador foi um dos primeiros a aparecer como vinculado às AUC em 2003 no escândalo da chamada "parapolítica", e está afetado por ter incorrido, supostamente, em consonância para delinqüir, homicídio e realizar desaparecimento forçado, disseram as fontes. Devido à "parapolítica" estão presos 33 congressistas e ex-congressisas e mais de 30 são investigados.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiaparamilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.