Ex-general paraguaio Oviedo é absolvido e pode disputar eleição

O ex-general paraguaio Lino Oviedo foiabsolvido na terça-feira de uma condenação a 10 anos de prisãopor ter tentado realizar um golpe de Estado, uma decisão que ohabilita a disputar as eleições gerais de abril de 2008,informou a imprensa local. A Suprema Corte de Justiça, que estava revisando o caso,decidiu a favor do ex-chefe do Exército com o voto de oito deseus nove membros, disse o jornal ABC em sua edição online,citando como fonte o advogado de defesa José López Chávez. "Somente um magistrado, Arnulfo Arias, votou contra aanulação", afirmou López Chávez. Com a absolvição, Oviedo recupera os direitos políticos,que havia perdido quando um Tribunal Militar Extraordinário ocondenou por omissão a uma ordem de soltura do ex-presidenteJuan Carlos Wasmosy, em abril de 1996. O ex-militar deixou a prisão em setembro, após receberpermissão de liberdade condicional por ter cumprido mais dametade da pena, e anunciou seu desejo de concorrer comocandidato presidencial. Oviedo ainda tem dois processos pendentes por ligação aoassassinato do vice-presidente Luis María Argana e pela mortede oito jovens nas manifestações que se seguiram, em março de1999. Os adversários políticos do ex-general garantem que alibertação de Oviedo é resultado de um acordo com o atualpresidente, Nicanor Duarte Frutos, para abalar uma aliança daoposição que ameaça a permanência do governante do PartidoColorado no poder. Oviedo formaria uma terceira frente eleitoral, tirandovotos da coalizão liderada pelo ex-bispo católico e favoritodas pesquisas, Fernando Lugo. (Por Daniela Desantis)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.