Ex-guerrilheiro e ex-presidente disputarão o poder no Uruguai

José Mujica e Luis Alberto Lacalle vencem prévias dos partidos e são favoritos para a disputa de outubro

Ansa,

29 de junho de 2009 | 01h23

O ex-guerrilheiro tupamaro José Mujica, da coalizão governista Frente Ampla, e o ex-presidente opositor Luis Alberto Lacalle disputarão a presidência do Uruguai nas eleições gerais de 25 de outubro, após vencerem as prévias internas de seus respectivos partidos, realizadas no domingo.

 

Segundo os primeiros números da apuração, Mujica largou na frente com 58,27% de apoio, contra 35,19% de seu principal adversário, Danilo Astori, que contava com apoio do presidente do país, Tabaré Vázquez. Já o ex-presidente Lacalle, que governou entre 1990 e 1995, possui 55,24% dos votos internos do Partido Nacional, enquanto o senador Jorge Larrañaga soma 44,63%.

 

A terceira força política do país, o Partido Colorado, tem Pedro Bordaberry disparado na liderança da apuração, com 71,14% dos votos internos de seu partido. Outros cinco partidos, com menor peso, também realizaram suas prévias, como determina a Constituição.

 

Os resultados preliminares confirmam o que vinha sendo apontado desde o início da noite de domingo por uma pesquisa de boca-de-urna realizada pela consultoria Factum. De acordo com o levantamento, o candidato oficial governista seria Mujica, que receberia entre 53% e 57% de apoio interno. O estudo também mostrava que Lacalle deveria vencer no Partido Nacional, com apoio de 56% a 58%. Bordaberry também aparecia como franco favorito nas internas do Partido Colorado, somando entre 74% e 80% dos votos.

 

Mesmo antes do fim das apurações, Larrañaga assumiu a derrota e anunciou que aceitaria ser o vice na chapa liderada por Lacalle. O anúncio foi feito na noite de ontem, durante um festejo na sede do partido. A adesão de Larrañaga surpreendeu analistas políticos, que esperavam de fato uma aliança entre os dois líderes opositores, mas imaginavam que ela aconteceria após alguns dias de negociação.

 

Agora, após o resultado, os candidatos escolhidos se perfilam à corrida presidencial. Nesta segunda, Mujica deverá se reunir com Astori para definir a chapa da coalizão governista. A disputa de 25 de outubro, que definirá o sucessor de Vázquez, deverá ser polarizada pela Frente Ampla e o Partido Nacional, as duas principais forças do país.

 

Texto atualizado às 9h25.

Tudo o que sabemos sobre:
Uruguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.