Ex-presidente boliviano perde posto de observador em referendo

Jorge Quiroga teria violado a normativa que rege a conduta sobre a observação eleitoral

EFE

02 de dezembro de 2007 | 04h39

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) decidiu suspender a credencial como observador do ex-presidente boliviano Jorge Quiroga, convidado pelos opositores para o referendo sobre a reforma constitucional, neste domingo, na Venezuela. Em comunicado, o Conselho indica que a reitora Sandra Oblitas, do CNE, considerou que Jorge Quiroga, "credenciado como observador político do bloco do 'não', violou a normativa que rege a conduta" sobre a observação eleitoral. Segundo Oblitas, o CNE decidiu suspender a credencial de Quiroga por "quebrar a normativa que rege o desempenho" dos observadores convidados por partidários e adversários da reforma constitucional que será votada neste domingo em referendo. A reitora do CNE informou que a normativa eleitoral estabelece que os observadores "devem realizar suas funções com pleno respeito à soberania, independência, direitos humanos e liberdades fundamentais" dos eleitores e eleitoras. Assinalou que a normativa indica que os observadores estão no dever de manter o tempo todo uma estrita imparcialidade política. A reitora ressaltou que as razões pelas quais o CNE decidiu suspender a condição de observador internacional a Quiroga são por emitir declarações nas quais - segundo o Conselho - ele expressou "parcialidade política contra o projeto de reforma" e por participar de uma "atividade proselitista" a favor do bloco que o convidou. Várias personalidades políticas foram convidadas pelo chamado "Bloco do Não", integrado por partidos de oposição à reforma constitucional promovida pelo presidente Hugo Chávez, a observar a votação deste domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
ChávezQuiroga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.