EXCLUSIVO-Cuba começa a descentralizar seu setor agrícola

O governo comunista de Cuba começou adescentralizar seu setor agrícola, controlado pelo Estado, noque parece ser a maior iniciativa econômica adotada até agorapelo presidente Raúl Castro para reativar essa área fundamentalda ilha caribenha. Em reuniões realizadas em todo o país, os agricultoresestão sendo informados de que as decisões, a respeito do uso daterra, da alocação de recursos e da venda de produtos, nãoserão mais tomadas pelo Ministério da Agricultura em Havana,mas por delegados municipais. Além disso, os órgãos municipais darão uma importânciamaior às atividades dos produtores particulares e dascooperativas, deixando de privilegiar as unidades estatais,afirmaram agricultores que participaram dessas reuniões. "Isso representa uma mudança importante, a passagem de umavisão vertical para uma horizontal, além de uma mudança namentalidade burocrática, de nacional para local", afirmou nasegunda-feira um especialista cubano da área que, como outros,pediu para não ser identificado. "Eles estão colocando o processo de tomada de decisões e dedirecionamento de recursos mais perto dos produtores eadmitindo que o setor privado, que possui apenas uma partepequena das terras, produz 70 por cento dos produtosagrícolas", acrescentou. Analistas descreveram a descentralização como uma"revolução" na agricultura, a área prioritária de Raúl parareduzir as importações e melhorar a economia de Cuba. "Descentralizar o processo de tomada de decisões no setoragrícola é um sinal muito claro de que Raúl Castro desejatornar mais dinâmica a economia cubana e mais capaz de atenderàs necessidades da população", afirmou David Jessop, diretor doConselho Caribenho, uma organização de ajuda ao desenvolvimentodessa região, com sede em Londres. Cuba possui cerca de 250 mil propriedades rurais familiarese 1.100 cooperativas privadas, que representam uma ilha depropriedade particular dentro de uma economia controlada quase90 por cento pelo Estado. O restante das terras é administrado pelo governo e metadedelas está ociosa. Ao tomar posse oficialmente como presidente de Cuba, no dia24 de fevereiro, depois de passar um ano e meio substituindo emcaráter provisório seu irmão doente Fidel Castro, Raúl prometeumodernizar a estrutura do Estado e torná-la mais eficiente. O novo modelo deve reduzir a burocracia nos órgãosagrícolas municipais. "Ao abarcar os setores privados, eles estão aceitando apossibilidade e a validade de modelos alternativos de produçãodentro do sistema socialista", afirmou Jessop. (Reportagem de Marc Frank)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.