Exército colombiano admite culpa na morte de indígenas

Com isso, os indígenas libertaram 12 soldados que tinham mantido retidos após as mortes

EFE

21 de setembro de 2008 | 00h51

O Exército colombiano reconheceu neste sábado sua responsabilidade pela morte de dois indígenas ocorridas nas últimas horas no sudoeste do país. O comandante do Batalhão José María Cabal, general Marco Mayorga, reconheceu que a morte dos indígenas aconteceu por um erro de seus soldados e pediu perdão pelo acontecido na noite da sexta-feira na região de Cumbal, Nariño, a uma hora de Pasto. "O Grupo Cabal, como institucional militar assume as conseqüências (pelo ocorrido), disse o major Mayorga perante aos indígenas. Depois que o Exército assumiu a responsabilidade, os indígenas libertaram 12 soldados que tinham mantido retidos após a morte de dois guardas da comunidade "Los Gramados"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.