Exército colombiano apreende explosivos que seriam das Farc

Autoridades confiscaram cerca de 1 tonelada de explosivos em uma fazenda nos arredores de Bogotá

Luis Jaime Acosta, da Reuters,

05 de julho de 2008 | 16h24

Autoridades da Colômbia encontraram explosivos que seriam usados em bombas em toda a capital do país em represália pelo resgate, nesta semana, de reféns das Farc, incluindo Ingrid Betancourt, segundo informações divulgadas por militares neste sábado, 5.       Veja também:   Ingrid deixa hospital após sete horas de exames médicos 'Operação de resgate foi antecipada', diz ministro colombiano O drama de Ingrid Por dentro das Farc  Histórico dos conflitos armados na região    Cronologia do seqüestro de Ingrid Betancourt Leia tudo o que foi publicado sobre o caso Ingrid Betancourt O seqüestro de Ingrid Betancourt  O Exército confiscou cerca de 1 tonelada de explosivos em uma fazenda nos arredores de Bogotá. Suspeita-se que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pretendiam usar os explosivos em ataques ao longo dos próximos dias, disseram oficiais militares, sob a condição de anonimato. Na quarta-feira, as Forças Armadas da Colômbia impuseram aos rebeldes um dos mais severos golpes deste ano, com uma emboscada que os forçou a entregar a política franco-colombiana Ingrid, três trabalhadores de defesa independentes norte-americanos e onze soldados e policiais colombianos. O resgate de helicóptero na selva, que ocorreu sem derramamento de sangue, foi celebrado em todo o mundo, mas também aumentou os temores de que os rebeldes do grupo insurgente de esquerda mais antigo da América Latina poderia tentar um contra-ataque. Este ano, as Farc conseguiram realizar apenas ataques em pequena escala em resposta a derrotas importantes, como as mortes de três altos líderes guerrilheiros. No mês passado, quatro policiais ficaram feridos em um ataque à bomba em Bogotá, menos de duas semanas depois do anúncio da morte do líder do grupo. A ofensiva militar do presidente Álvaro Uribe, um aliado dos Estados Unidos, afastou os rebeldes das áreas urbanas. Agora, eles raramente realizam ataques na capital - um grande contraste com uma década atrás, quando as Farc ameaçavam derrubar o governo. O resgate desta semana pode ter representado o começo da derrota definitiva das Farc, que já combatem há 40 anos, segundo analistas políticos e de segurança. A ação arrancou dos rebeldes suas fichas de barganha mais importantes, baixou seu moral e expôs a fragmentação de sua organização, disseram analistas.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarcIngrid Betancourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.