Exército colombiano captura 11 militares equatorianos

Detidos teriam atravessado a fronteira no município de Puerto Leguízamo para comprar alimentos

EFE,

09 de agosto de 2009 | 13h30

Onze militares equatorianos, entre eles um oficial e um suboficial, foram capturados por tropas do Exército colombiano no departamento do Putumayo (sul), informou neste domingo, 9, a Chancelaria colombiana, que não deu maiores detalhes sobre a situação.

 

"No dia de ontem, 8 de agosto de 2009, às 12h (14h de Brasília), no lugar conhecido como La Reforma, município de Puerto Leguízamo, departamento de Putumayo, o Exército da Colômbia capturou um oficial, um suboficial e nove soldados pertencentes ao Exército equatoriano, a 300 metros da fronteira", afirma um comunicado da Chancelaria.

 

A nota oficial explica que, de acordo com os acordos vigentes para unidades militares e de Polícia fronteiriças com a Colômbia e o Equador, "serão entregues hoje à autoridade militar equatoriana, capitão Michael Cadena, chefe de Pessoal do Batalhão de Selva 55, em Puente de San Miguel".

 

O comunicado, publicado no site do Ministério das Relações Exteriores colombiano, afirma que os capturados "foram tratados com todo o respeito e a dignidade que corresponde à honra militar".

O documento não entrega mais detalhes de quais foram as explicações que os militares equatorianos deram para entrar em território colombiano.

 

Equador dá como "resolvido" problema na fronteira

O Governo do Equador comentou neste domingo o caso dos soldados capturados na Colômbia, justificando um "problema administrativo". "Até onde me informaram os comandantes militares, o assunto está resolvido", disse o ministro da Defesa do Equador, Miguel Carvajal, à AFP.

 

Segundo Carvajal, os equatorianos detidos na fronteira seriam voluntários com instrução militar e que atravessaram a fronteira para comprar alimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaEquadormilitarcaptura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.