Exército do Equador confirma fogo cruzado com 'grupo irregular'

O Exército do Equador informou nasexta-feira que houve um enfrentamento "fortuito" entremilitares e membros de grupos irregulares na fronteira com aColômbia, em uma ação que não fez vítimas e ninguém foicapturado. O combate completa a série de incidentes na fronteira entreos dois países, desde que militares colombianos adentraram oterritório equatoriano para destruir um acampamento das ForçasArmadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O "fogo cruzado" aconteceu na quarta-feira na áreafronteiriça de Quebrada del Ají, na província equatoriana deSucumbíos, quando as tropas equatorianas perseguiram o grupoilegal. "Foi um combate de encontro. Houve um encontro acidentalentre uma célula dos grupos irregulares, mas não há vítimas nemcapturados", confirmou à Reuters o general Fabián Narváez,comandante da quarta divisão do Exército do Equador. Narváez não quis dizer se o encontro foi com membros dasFarc, mas meios locais asseguraram que se tratava da frente 48da organização, que opera na fronteira. As forças militares e policiais do Equador foram ordenadasa impedir a presença de qualquer grupo armado irregular em seuterritório, na tentativa de repelir supostas operaçõesguerrilheiras. Desde o ataque colombiano, em 1o de março, no qual morreuum líder das Farc Raúl Reyes, o Equador mobilizou cerca de milmilitares ao longo dos 600 quilômetros de fronteira. A patrulha encontrou bases clandestinas e materialexplosivo, confirmou Narváez. Quito e Bogotá estão com as relações diplomáticas rompidasdesde a incursão, qualificada pela comunidade internacionalcomo uma violação do território equatoriano. A Organização dos Estados Americanos (OEA) enviou umamissão para ajudar ambos os países a solucionar a crise. (Reportagem de Alexandra Valencia)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.