Exército mata guerrilheiro das Farc que assassinou indigenistas

Homem conhecido como 'El Marrano' morreu em combates contra soldados colombianos

Efe,

10 de maio de 2008 | 22h27

O Exército colombiano matou neste sábado, 10, um guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) acusado de ser o responsável pelo assassinato de três indigenistas americanos em 1999. Segundo o site do jornal El Tiempo, de Bogotá, o guerrilheiro conhecido como "El Marrano", morreu em combates contra soldados em um local limítrofe entre os departamentos de Meta e Caquetá. Na operação militar, o Exército conseguiu apreender um computador e duas memórias que estavam em poder do guerrilheiro. O rebelde das Farc tinha em seu poder duas carteiras de identidade, uma colombiana no nome de Julio Ávila e outra venezuelana. O guerrilheiro pertence ao Bloco Oriental das Farc, dirigido pelo conhecido como "El Mono Jojoy", cujo verdadeiro nome é Jorge Briceño Suárez. As autoridades colombianas disseram na época que Terence Freitas, Laheenae Gay e Ingrid Washinawatock foram interceptados por homens das Farc ao comando de "El Marrano", que ordenou sua morte.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.