Explosão em oleoduto deixa 11 mortos e 70 feridos na Colômbia

A explosão de um oleoduto no oeste da Colômbia deixou 11 mortos e 70 feridos, informou nesta sexta-feira a petrolífera estatal Ecopetrol, que atribuiu o acidente à manipulação ilegal da tubulação por pessoas envolvidas em roubo de combustível.

REUTERS

23 de dezembro de 2011 | 14h55

Embora tenha sido reduzido, o roubo de combustível e petróleo das redes de oleodutos e gasodutos no país é uma prática comum e está longe de ser erradicada, com os grupos ilegais obtendo milionários recursos, de acordo com fontes segurança.

A explosão, que destruiu pelo menos 30 casas, foi registrada nos arredores da aldeia de Dosquebradas, no Departamento de Risaralda, no oeste.

O gasoduto de 230 quilômetros transporta gasolina ou diesel de Salgar, no centro do país, a oeste.

"Temos informações de que, aparentemente, havia pessoas que perfuraram o oleoduto para roubar combustível", disse a prefeita de Dosquebradas, Luz Ensueño Betancur.

Os esquadrões paramilitares de ultradireita e as guerrilhas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) obtiveram há quase uma década milhões de receitas do roubo de combustíveis da rede de gasodutos e óleodutos.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, o roubo de combustível caiu consideravelmente nos últimos 10 anos devido a melhor segurança do país e a vigilância militar dos gasodutos e oleodutos.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAOLEODUTOEXPLODE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.