Explosivos que Farc teriam posto em rodoviária e aeroporto são desativados

Dispositivos foram colocados no sul do país e na fronteira com a Venezuela

Efe

24 de outubro de 2010 | 18h55

BOGOTÁ - A Polícia colombiana desativou dois artefatos explosivos que supostos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) colocaram em uma rodoviária no sul do país e na pista de um aeroporto de uma localidade na fronteira com a Venezuela.

 

O primeiro dos fatos aconteceu na rodoviária de Neiva, capital do departamento de Huila, onde especialistas desativaram uma carga instalada no aro da roda de um ônibus intermunicipal que estava estacionado no local.

 

Em declarações a jornalistas, o comandante da Polícia de Huila, coronel Flavio Mesa, revelou que esta ação poderia ser de autoria das Farc. Por prevenção, o terminal foi evacuado.

 

As autoridades também frustraram uma ação terrorista ao detonar um botijão de gás repleto de explosivos e outros elementos. Aparentemente, a bomba foi instalado por membros das Farc na pista do aeroporto de Tibu, no departamento de Norte de Santander, na fronteira com a Venezuela.

 

Segundo a rádio "Caracol", que cita fontes oficiais, o alvo desta bomba era atingir a primeira-dama do departamento, Cecilia Soler, que chegaria a eta localidade para cumprir seu programa de entrega de ajuda humanitária a comunidades vulneráveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.