Falta de energia atinge o Chile e afeta minas de cobre

Um grande blecaute de energia paralisou importante minas de cobre no Chile no sábado e deixou grandes áreas do país no escuro, incluindo a capital Santiago, antes da energia ser amplamente restaurada, informaram autoridades.

MOISES AVILA E SIMON GARDNER, REUTERS

25 Setembro 2011 | 10h43

A interrupção no fornecimento deixa exposta a fragilidade da rede de energia da maior produtora mundial de cobre, que foi devastada por um forte terremoto em 2010.

Críticos culparam o presidente chileno Sebastian Pinera pelos baixos investimentos em infraestrutura e seus índices de popularidade caíram desde que ele assumiu o cargo no ano passado.

Antes do blecaute, o presidente já lutava contra grandes protestos de estudantes que exigiam profundas reformas educacionais.

Engenheiros apressados conseguiram restaurar a geração e distribuição de energia até chegar a 90 por cento do total, disse o governo após o apagão, que durou duas horas na maioria dos locais atingidos.

"Nós já recuperamos a energia em várias regiões do país", disse o ministro da energia do Chile Rodrigo Alvarez.

Em entrevista anterior, o ministro afirmou que a causa do problema era desconhecida, mas que os computadores que ajudam a controlar a rede de energia também foram afetados. O apagão atingiu principalmente o centro do País, onde cerca de 10 milhões dos 16 milhões de habitantes do Chile vivem.

(Reportagem adicional de Antonio Delajara e Alexandra Ulmer; texto de Terry Wade)

Mais conteúdo sobre:
CHILEENERGIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.