Família argentina deve abandonar casa por causa de petróleo

Óleo começou a brotar do chão de um dos quartos; após acordo com petrolífera, casa será demolida

EFE,

28 de dezembro de 2007 | 14h50

Uma família da cidade argentina de Comodoro Rivadavia (1.740 quilômetros ao sul de Buenos Aires) deve abandonar sua casa devido ao petrólo que começou a brotar do chão, informou a imprensa local nesta sexta-feira, 28. Ao que parace, a casa foi construída sobre um antigo posto de petróleo desativado, segundo publicou em sua edição desta sexta o jornal Crónica, da cidade de Comodoro Rivadavia. O casal e os quatro filhos que habitam a casa primeiramente notaram manchas no piso e fortes odores, até que o óleo finalmente brotou de um dos quartos. Segundo o jornal, a família chegou a um acordo com a petrolífera Repsol YPF para abandonar a casa, que será demolida para permitir o fechamento do poço e as reformas necessárias para que se possa construir no local com segurança.

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoComodoro Rivadavia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.