Familiares de reféns das Farc chegam a Caracas para negociar

Colombianos terão encontro com Hugo Chávez, para pedir ajuda do presidente em acordo humanitário

20 de agosto de 2007 | 19h37

Um grupo de 15 pessoas, familiares de líderes políticos seqüestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), viajaram nesta segunda-feira, 20, a Caracas para se encontrarem com o presidente Hugo Chávez e discutirem o intercâmbio humanitário, segundo o venezuelano El Universal.A delegação viajou em um vôo às 8h40 (local), de Bogotá a Caracas, onde foram recebidos pelo ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Nicolas Maduro."Vamos esperar a reunião com o presidente Chávez, vim unicamente saudá-los e dar-lhes as boas vindas em nome do presidente aos familiares que hoje nos visitam", afirmou Maduro à RCN Radio de Caracas.O grupo de familiares havia solicitado uma audiência com Chávez para que este intervenha em um eventual acordo humanitário entre o governo colombiano e as Farc."A iniciativa desta viagem é muito importante para nós. Cremos muito na liderança do presidente Chávez em toda América Latina e que nos ajude para realmente impulsar o acordo humanitário", expressou Yolando Pulecio, mãe da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt.A delegação de colombianos também conta com o professor Gustavo Moncayo, que caminhou 46 dias para chegar a Bogotá, em protesto para que as Farc libertassem seu filho.Chávez disse que viajará a Bogotá para reunir-se com Álvaro Uribe, para falar sobre a permutação dos seqüestrados.

Tudo o que sabemos sobre:
ChávezUribeVenezuelaColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.