Farc anunciam libertação de mais três reféns

Comunicado é feito após mediação de Chávez e 'governos amigáveis'; guerrilha não fixou data da libertação

AE-AP

03 de fevereiro de 2008 | 15h39

Os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram neste domingo, 3,  que vão libertar mais três reféns, após esforços de mediação do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e de "outros governos amigáveis". Em comunicado, as Farc não fixaram a data da libertação dos reféns, identificados como Gloria Polanco, Luis Eládio Pérez e Orlando Beltrán; todos eles haviam sido seqüestrados em 2001. Veja também:Bento XVI receberá em audiência mãe de Ingrid Betancourt Na Colômbia, 29 guerrilheiros das Farc deixam as armasSaiba quem são as refénsEntenda o que são as FarcCronologia: do seqüestro à libertação O ministro colombiano do Interior, Carlos Holguín, disse a jornalistas que o governo do presidente Alvaro Uribe dá boas vindas à decisão da guerrilha. "Estamos dispostos a fazer tudo o que for necessário para que esses cidadãos recuperem a liberdade", acrescentou. A partir de um esforço de mediação liderado por Chávez, as Farc libertaram dois reféns em 10 de janeiro; a guerrilha ainda mantém cerca de 40 reféns, entre eles três mercenários norte-americanos e a ex-senadora Ingrid Betancourt,  seqüestrada pelas Farc em fevereiro de 2002 na floresta do Caquetá (sudoeste), junto com sua candidata a vice-presidente, Clara Rojas, libertada no dia 10 de janeiro graças a gestões do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Betancourt é uma das 44 pessoas que fazem parte de uma lista de seqüestrados, além de três americanos e dezenas de políticos, policiais e soldados, que as Farc pretendem trocar por 500 rebeldes presos. 

Tudo o que sabemos sobre:
Farc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.