Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Farc anunciam plano de libertar três reféns

Os rebeldes colombianos das Farcpretendem entregar mais três reféns ao presidente da Venezuela,Hugo Chávez, que no mês passado intermediou a soltura de duasreféns. O anúncio foi feito num comunicado do grupo rebeldenuma televisão local. Os reféns colombianos estão no centro de uma disputadiplomática acirrada entre o anti-americano Chávez e opresidente colombiano Álvaro Uribe, aliado de Washington,depois de eles se desentenderem em torno da participação dovenezuelano na ajuda com a libertação de reféns. As Farc --Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia--disseram que planejam libertar Gloria Polanco de Losada, LuisEladio Perez e Orlando Beltran porque suas condições de saúdeestão precárias, depois de mais de seis anos como reféns emacampamentos dos rebeldes na selva. O comunicado das Farc entregue à emissora local NoticiasUno disse que a libertação será um gesto de reconhecimento aosesforços de Chávez e da senadora colombiana Piedad Cordoba defechar acordos para a troca de reféns por rebeldes presos. "Pedimos que o presidente Hugo Chávez ou a senadora PiedadCordoba recebam os legisladores Gloria Polanco de Losada, LuisEladio Perez e Orlando Beltran ... pessoalmente ou através dedelegados em território colombiano, devido à saúde (dosreféns)", disse o comunicado. Datado de 31 de janeiro, o comunicado disse que levarátempo garantir segurança para a libertação dos reféns. Umesforço inicial de Chávez para libertar os reféns fracassou. O anúncio foi feito um dia após colombianos planejaram umamarcha nacional contra as Farc e os sequestros. Ele podecolocar pressão sobre Uribe para chegar a um acordo de troca dereféns com os guerrilheiros. A campanha de segurança de Uribe, apoiada pelos EUA, vemenviando tropas para retomar áreas que já estiveram sobcontrole dos rebeldes, e a violência e os sequestros ligados aoconflito, que já dura quatro décadas, tiveram uma reduçãonítida. Mas os rebeldes continuam a lutar em áreas ruraisisoladas. Entre os reféns chaves em mãos da guerra estão a políticacolombiana-francesa Ingrid Betancourt, refém desde 2002, e trêsnorte-americanos capturados em 2003. Uribe e os guerrilheiros chegaram a um impasse sobre umacordo para a troca de 44 reféns chaves, devido à exigência dosrebeldes de que Uribe retire as tropas de uma área no sul daColômbia, equivalente em extensão à cidade de Nova York, parafacilitar a entrega dos reféns.

LUIS JAIME ACOSTA, REUTERS

03 de fevereiro de 2008 | 11h46

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAFARCREFENSLIBERTACAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.