Farc apresentam provas de vida de mais nove reféns

Vídeos com militares e policiais colombianos foram entregues à senadora opositora Piedad Córdoba

Associated Press e Efe,

31 de agosto de 2009 | 15h17

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) entregaram nesta segunda-feira, 31, provas de vida de nove militares e policiais em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O material, que revela que dois dos reféns vivem acorrentados há dois anos, foi entregue em forma de vídeo à senadora opositora Piedad Córdoba.

 

Veja também:

especialEspecial: Por dentro das Farc

 

As provas, nove vídeos de três a seis minutos cada, foram entregues aos parentes em um centro comunal no norte de Bogotá. Piedad, do opositor Partido Liberal, trabalhou durante meses pela libertação dos reféns das Farc. Ela obteve as provas por vias confidenciais, entregando-as a parentes e divulgando um texto à imprensa sobre as imagens.

 

Nas fitas aparecem o general Luis Mendieta - capturado em novembro de 1998 e promovido de coronel a general em abril passado, convertendo-se no oficial mais graduado nas mãos dos insurgentes -, os capitães Edgar Yesid Duarte e Enrique Murillo, os tenentes William Donato e Elkin Hernández, e o intendente Álvaro Moreno, todos eles da polícia . As imagens também mostram os sargentos do Exército Arbey Delgado e Luis Alberto Erazo, além do cabo José Líbio Martínez, que há 12 anos é mantido em poder das Farc.

 

María del Carmen de Donato, mãe do coronel da polícia William Donato Gómez, afirmou que a alegria era enorme por saber que seu filho está vivo. Ao mesmo tempo, ela demonstrou tristeza "ao saber que ele não chega" livre desde sua captura, em agosto de 1998. "Com essas provas nos deram uma grande alegria, por um lado me sinto muito contente, pelo menos vejo que meu filho está vivo, mas ao mesmo tempo com uma tristeza ao saber que não é ele que chega" de volta para casa, disse a mãe.

 

Nas fitas aparecem o general Luis Mendieta, os capitães Edgar Yesid Duarte e Enrique Murillo, os tenentes William Donato e Elkin Hernández, e o intendente Álvaro Moreno, todos eles da polícia . As imagens também mostram os sargentos do Exército Arbey Delgado e Luis Alberto Erazo, além do cabo José Líbio Martínez, que há 12 anos é mantido em poder das Farc.

 

A diretora da Associação Colombiana de Familiares de Membros da Polícia, Retidos e Libertados por Grupos Guerrilheiros (Asfamipaz), Marleny Orjuela, disse que o ex-congressista Orlando Beltrán, refém das Farc até o ano passado, foi quem, indiretamente, acorrentou dois dos sequestrados. "Com tristeza, devo dizer ao país que justamente um dos políticos que, graças a Deus, está livre foi quem acorrentou Arbey Delgado e William Donato", dois dos reféns que aparecem nas provas de vida apresentadas nesta segunda-feira.

 

"Não é possível que venham dizer que as Farc são cruéis porque mais cruel é um político que faz favores às Farc", acrescentou Orjuela, segundo quem o ex-congressista delatou uma suposta fuga planejada pelos sequestrados.

 

Os nove reféns estão incluídos na lista de 23 policiais e militares que as Farc pretendem trocar por 500 guerrilheiros presos. Em 17 de agosto, Córdoba já havia apresentado provas de vida do major da Polícia Guillermo Javier Solórzano e do cabo do Exército Salín Antonio Sanmiguel Valderrama, que apareceram num vídeo em bom estado de saúde.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.