Farc aprovam mediação de Chávez e desconfiam de Uribe

Vídeo do porta-voz, Raúl Reyes, foi exibido na Cúpula dos Povos, paralela à Cúpula Ibero-americana

Efe,

09 de novembro de 2007 | 01h49

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) aprovam a mediação do presidente venezuelano Hugo Chávez na troca humanitária de presos, segundo um vídeo exibido nesta quinta-feira, 8, na Cúpula dos Povos, paralela à Cúpula Ibero-americana realizada em Santiago. No entanto, os guerrilheiros desconfiam do presidente colombiano Álvaro Uribe, segundo o vídeo, no qual é entrevistado o porta-voz das Farc, Raúl Reyes. Havia boatos de que Reyes estava em Santiago e participaria ativamente da cúpula alternativa. Mas a possibilidade foi desmentida pelos organizadores do encontro e pelo chanceler chileno, Alejandro Foxley. "Os resultados são satisfatórios", disse Reyes no vídeo. A gravação foi feita na floresta colombiana, segundo disse à agência Efe Alejandro Valenzuela, porta-voz da Cúpula dos Povos. O dirigente das Farc acrescentou que "felizmente" no processo de negociação para troca de reféns da guerrilha por membros do grupo presos nas prisões colombianas receberam o apoio do presidente Chávez e da senadora colombiana Pilar Córdoba. Ele acrescentou que as Farc "não confiam no governo de Uribe e em nenhum de seus integrantes", por isso "é necessária a desmilitarização" dos municípios de Pradera e Florida. O guerrilheiro reconheceu que o processo não é fácil, mas que é preciso ser atingido "o mais rápido possível". Raúl Reyes agradeceu a Chávez e Córdoba e disse que os dois "contam com um grande apoio" dos Países Não-Alinhados, de várias nações da região e ainda da França, Suíça e Espanha. O guerrilheiro também confirmou que as Farc exigem a liberdade dos guerrilheiros presos na Colômbia e de dois dirigentes que estão presos nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcChávezColômbiaUribe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.