Farc atacam casa de prefeito e deixam um morto na Colômbia

Segundo a polícia, intenção dos guerrilheiros era sequestrar a filha do político

Efe,

14 de janeiro de 2011 | 04h19

BOGOTÁ - Membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) mataram na quinta-feira o neto do prefeito da cidade colombiana de Puerto Assis durante um ataque às casas do governante e de uma de suas filhas.

 

Mauro Toro, o prefeito de Puerto Assis, localizada no departamento de Putumayo, perto da fronteira com o Equador, confirmou ao jornal El Tiempo a morte do neto, de 16 anos, no incidente.

 

Segundo a Caracol Radio, que citou o comandante da polícia de Putumayo, coronel Juan Alberto Libreros, nos ataques foram utilizados explosivos e rajadas de fuzil. As casas do prefeito Toro e de sua filha mais velha, Sandra, ficam no bairro La Colina.

 

Aparentemente, a intenção dos rebeldes das Farc era sequestrar Sandra, pois sua casa foi atacada com explosivos de médio poder, assinalou Libreros.

Quase simultaneamente ao ataque contra o imóvel de sua filha, outro grupo de homens disparou rajadas de fuzil contra a casa do prefeito Toro, sem deixar mortos ou feridos.

 

Segundo o coronel Libreros, a reação da polícia fez que os cerca de dez guerrilheiros fugissem.

O ataque ocorre dias depois de o líder das Farc, conhecido como Alfonso Cano, ter assegurado em um vídeo que os rebeldes intensificariam as ações da guerrilha em 2011, o que foi qualificado pelo vice-presidente colombiano, Angelino Garzón, como "bravatas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.