Reprodução/EFE
Reprodução/EFE

Farc decidem libertar repórter francês, diz Cruz Vermelha

Ainda não há data para liberação; jornalista está sequestrado desde 28 de abril

EDUARDO GARCIA E LUIS JAIME ACOSTA, REUTERS

14 Maio 2012 | 09h35

BOGOTÁ - O grupo de guerrilha colombiano Farc decidiu libertar o repórter francês sequestrado há duas semanas, apesar de não ter dado uma data para sua liberação, afirmou uma autoridade da Cruz Vermelha no domingo, 13, citando um comunicado dos rebeldes.

Veja também:

link Langlois, um jornalista que procura sempre a voz das vítimas

Integrantes fortemente armados das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) sequestraram Romeo Langlois, um repórter do canal France 24, durante uma troca de tiros com tropas que realizavam uma incursão em Caquetá, um local de resistência dos rebeldes no sul.

"O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) recebeu um comunicado das Farc em que eles afirmam que decidiram libertar Romeo Langlois", disse o oficial do CICV Daniel Muñoz à repórteres.

Muñoz disse que a declaração não mencionava uma data para a libertação de Langlois, mas que as Farc pediram pela mediação de um comitê formado por um enviado do governo francês, um representante do CICV e a ativista e ex-senadora Piedad Córdoba para discutir com os rebeldes os termos da libertação do francês.

Muñoz disse que o CICV foi informado de que o repórter estava em bom estado de saúde, apesar de continuar com um ferimento no braço esquerdo sofrido quando ele foi sequestrado no dia 28 de abril.

As Farc acusaram o governo colombiano na segunda-feira de manipular jornalistas para moldar a opinião pública contra a guerrilha e pediram por um debate sobre liberdade de informação como condição para a libertação de Langlois.

Mais conteúdo sobre:
COLOMBIA FARC JORNALISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.