Farc dizem que morte de Reyes afeta chance de acordo por reféns

A maior guerrilha da Colômbia anunciounesta terça-feira que a morte em um bombardeio de seu dirigenteRaúl Reyes representou um sério revés na possibilidade de umacordo humanitário para a libertação de 40 reféns políticos,incluindo a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt. As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)garantiram que o ataque ordenado pelo presidente Álvaro Uribeem território equatoriano e que detonou uma crise diplomática,na qual também a Venezuela se envolveu, fechou uma saídapolítica para o conflito armado do país. "A traição do ataque, a perversidade e o cinismo mentirosode Álvaro Uribe para deformar as circunstâncias da morte docomandante Raúl, não só tensionam perigosamente as relaçõesdeste governo com as repúblicas irmãs, mas golpearam gravementeas possibilidades de intercâmbio humanitário", disseram as Farcem um comunicado. (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.