Farc entregam oito reféns para a Cruz Vermelha

Duas pessoas seqüestradas enquanto viajavam em rio permanecem em poder da guerrilha

Efe,

24 de julho de 2008 | 13h48

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) entregaram ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) oito das dez pessoas que mantinham seqüestradas há oito dias no noroeste colombiano, informaram nesta quinta-feira, 24, fontes da organização humanitária em Bogotá.   Veja também: Ingrid Betancourt deve visitar o Brasil em agosto, diz senador Por dentro das Farc  Histórico dos conflitos armados na região      A delegação do CICV na Colômbia disse em comunicado que os prisioneiros foram libertados na quarta-feira na zona rural de Vigía del Fuerte, cidade na divisa entre os departamentos de Antioquia e Chocó. Os libertados são "oito civis que se encontravam em poder das Farc-EP (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo) desde 17 de julho", acrescentou a fonte.   Os oito reféns faziam parte de um grupo de 18 pessoas que viajavam pelo rio Atrato em um barco que tinha saído de Altero, em Antioquia, e tinha como destino Quibdó, capital de Chocó.   Dez dos viajantes foram seqüestrados por guerrilheiros da Frente 34 das Farc em uma parada da lancha em Palo Blanco, aldeia de Chocó. Os outros foram deixados às margens do rio Beberá, afluente do Atrato.   "A operação foi possível graças à interlocução confidencial e discreta das partes interessadas e sob a ação humanitária, neutra e independente do CICV", informou a organização, que esclareceu que "a libertação foi realizada depois de uma solicitação de que as Farc os enviassem ao CICV".   Na mesma nota, a delegação reiterou "sua disponibilidade de apoiar a busca de mecanismos para obter a libertação de outros reféns, assim como dos demais detidos em poder dos grupos armados". A identidade dos libertados não foi informada, assim como as dos dois seqüestrados em poder das Farc. As vítimas eram aldeões, alguns dos quais vinculados com entidades estatais na região.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.