Farc sequestram três chineses de empresa petroleira na Colômbia

Sequestro ocorreu na terça-feira em uma zona rural do município de San Vicente del Caguán

LUIS JAIME ACOSTA, REUTERS

09 de junho de 2011 | 10h57

BOGOTÁ - Três chineses da petroleira Emerald Energy foram sequestrados junto com seu tradutor por guerrilheiros das Farc em uma zona de selva na Colômbia, disse uma autoridade na quarta-feira, 8, incidente que evidencia os riscos que ainda são enfrentados pela indústria de hidrocarbonetos no país.

A Colômbia, quarta maior produtora de petróleo bruto da América Latina, vive um auge nos setores de mineração e petróleo por conta da melhoria nas condições de segurança, que permitiram a entrada de diversas multinacionais para a exploração de petróleo bruto no país.

Segundo o general Javier Flórez, comandante da Força de Tarea Omega, o sequestro ocorreu na terça-feira em uma zona rural do município de San Vicente del Caguán, no departamento de Caquetá.

"São trabalhadores da Emerald, viajavam de caminhonete e foram interceptados por sete pessoas com armas curtas, que os intimaram e levaram, depois libertaram o motorista", disse a jornalistas o oficial responsável pela unidade especializada na luta contra a guerrilha esquerdista.

Flórez afirmou que a nacionalidade do tradutor que foi sequestrado junto com os chineses está sendo investigada e que aparentemente também era estrangeiro.

A região onde ocorreu o sequestro é uma área de operação das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), principal grupo rebelde da Colômbia que diz lutar para impor um sistema socialista no país que tem diferenças marcantes entre ricos e pobres.

As Farc, consideradas uma organização terrorista pelos Estados Unidos e pela União Europeia, sofreram uma ofensiva militar que obrigou um recuo estratégico às zonas montanhosas e selvagens do país.

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAFARCCHINESES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.