Favorito cai em pesquisas no México após protestos

O candidato favorito na eleição presidencial mexicana de 1o de julho, Enrique Peña Nieto, registrou seu pior índice de intenções de voto desde o início da campanha, após ser alvo de protestos estudantis, segundo pesquisa divulga na terça-feira pelo instituto Consulta Mitofsky.

REUTERS

29 Maio 2012 | 19h24

Peña Nieto, no entanto, mantém uma ampla vantagem, com 35,6 por cento das menções, perda de 2,3 pontos percentuais em relação à semana passada. O esquerdista Andrés Manuel López Obrador aparece pela segunda semana consecutiva na vice-liderança, passando de 20,5 para 21,7 por cento.

A governista Josefina Vázquez Mota oscilou de 20,1 para 20,4 por cento. Ainda há 20 por cento de indecisos. A margem de erro da pesquisa, feita entre os dias 25 e 27 de maio, é de 3,1 pontos percentuais.

Peña Nieto é o candidato do Partido Revolucionário Institucional (PRI), que dominou a política mexicana durante 71 anos, até 2000, período marcado por corrupção e autoritarismo. Críticos veem nele um candidato artificial, moldado por marqueteiros e impulsionado pela influente rede de TV Televisa.

Recentemente, Peña Nieto tem sido alvo de protestos estudantis. Em outro golpe contra o seu partido, a Justiça norte-americana apreendeu há poucos dias os bens do ex-governador priista Tomás Yarrington, do Estado de Tamaulipas (norte), acusado de receber subornos de traficantes.

O PRI suspendeu no fim de semana os direitos de Yarrington como membro do partido, à espera do resultado das investigações.

(Reportagem de Miguel Angel Gutiérrez)

Mais conteúdo sobre:
MEXICO PESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.