Fazendeiro argentino é morto no Paraguai

Um fazendeiro argentino e um engenheiro agrônomo paraguaio foram assassinados na quinta-feira em circunstâncias ainda não esclarecidas numa propriedade rural do nordeste do Paraguai, um fato que agrava a já tensa situação fundiária no país. Promotores disseram que os corpos do proprietário Esteban Andreoli, 28 anos, e do engenheiro Modesto Gamarra foram encontrados ao amanhecer numa casa da fazenda, dedicada ao cultivo de soja, por funcionários que haviam ido avisar o fazendeiro que um guarda estava desaparecido. Andreoli e Gamarra estavam amarrados e tinham ferimentos de faca, especialmente na garganta. O argentino era dono da fazenda Maragatú, com mais de 2.000 hectares, localizada a cerca de 500 quilômetros de Assunção, no Departamento de Canindeyú. O promotor Ramón Zelaya disse a uma rádio de Assunção que os primeiros dados da investigação apontam para um roubo. "Não descartamos a hipótese de inimizade nem qualquer possibilidade, mas achamos que poderia se tratar de um latrocínio, porque hoje teria de ser trazido o dinheiro para o pagamento de pessoal." Há poucos dias, entidades ruralistas realizaram uma mobilização de dois dias, com a participação de mais de 50 mil proprietários, exigindo mais segurança no campo. (Reportagem de Mariel Cristaldo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.