Felix alcança categoria cinco e ameaça Nicarágua

Moradores, turistas e indígenas são retirados da área litorânea de países da América Central na rota do furacão

Agências internacionais,

04 de setembro de 2007 | 07h44

O furacão Félix atingiu em cheio a Nicarágua nesta terça-feira, 4,  enquadrado na mais mortífera e devastadora de todas as categorias existentes para classificar o fenômeno, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.  Veja também:  Rota do furacão Felix    Enquanto isso, na costa mexicana do Oceano Pacífico, a tempestade tropical Henriette ganhou força e transformou-se em um furacão, com ventos sustentados de 120 quilômetros por hora.   De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA, o furacão segue na direção de Cabo San Lucas, uma estância de alto padrão popular entre astros de Hollywood e entusiastas da pesca marinha. Até o final da semana, o fenômeno também deve atingir Belize e a Península de Yucatán. Honduras e Nicarágua fizeram preparativos para a chegada do ciclone. "Há risco de graves danos materiais e perda de vidas caso as pessoas não tomem as precauções necessárias", disse a BBC o presidente de Honduras, Manuel Zelaya. O Felix atingiu Punta Gorda com ventos de 260 quilômetros por hora. Mais de 350 pessoas foram retiradas da região, mas diversos índios da tribo Miskito recusaram-se a sair. Vinte pescadores estão desaparecidos na região, informou o jornal La Prensa.   As linhas de comunicação com a área caíram e é impossível saber o que está acontecendo em um momento no qual o furacão atinge essa remota região da Nicarágua. O governo nicaragüense já enviou militares à região, mas pretende ampliar o contingente depois da passagem do furacão. O Félix evoluiu de forma extremamente rápida em menos de 24 horas. Passou de uma tempestade tropical a um temido furacão de categoria 5 entre sábado e domingo, antes de ser rebaixado à categoria 4 na segunda-feira. O furacão só começará a se enfraquecer quando entrar totalmente no México. Ao passar pelo Caribe, o furacão Félix provocou fortes chuvas na ilha de Granada, no litoral venezuelano e na península colombiana de La Guajira. Os governos da região temem que o Félix possa causar devastação semelhante à provocada pelo Furacão Mitch, que matou milhares de pessoas em 1998. O Félix é a sexta tempestade a atingir a região na atual temporada. Há duas semanas, o Furacão Dean matou 18 pessoas em sua passagem pela região.

Tudo o que sabemos sobre:
furacãoFelixNicarágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.