Fidel Castro chama vice-presidente de Obama de chorão

Ex-presidente cubano critica Joe Biden por apoiar embargo econômico americano contra o regime da ilha

Reuters e Efe,

30 de março de 2009 | 07h50

O ex-presidente cubano Fidel Castro chamou de "lamentos chorões" que dão "pena" as afirmações do vice-presidente americano, Joe Biden, de que os Estados Unidos não suspenderam o embargo econômico que mantêm contra Cuba desde 1962, e fechou a possibilidade de abertura política na ilha.

 

Biden disse a repórteres durante uma cúpula política no Chile no sábado que é necessária uma "transição" na política dos EUA para a ilha comunista, mas respondeu negativamente quando questionado se o embargo seria encerrado e disse afirmou que os cubanos "devem determinar seu próprio futuro e devem poder viver em liberdade e com a possibilidade de prosperidade econômica".

 

Em artigo divulgado neste domingo pelo site Cubadebate, Fidel pede "que leiam as declarações do piedoso católico Joe Biden em Viña del Mar, que descarta levantar o bloqueio econômico a Cuba". "Seus lamentos chorões dão pena, especialmente quando não existe um só governo latino-americano e caribenho que não veja nessa medida 'antediluviana' um resquício do passado", acrescenta Fidel.

 

Fidel, em uma coluna publicada na Internet, disse que é "engraçado ver como as vísceras do império (EUA) se agitam, cheias de problemas e contradições insuperáveis com o povo da América Latina". Segundo Fidel, que sofre de uma doença intestinal, Biden estaria "suspirando por uma transição interna que em nosso país seria francamente contrarrevolucionária", deixando claro que não tem intenção de permitir alguma abertura democrática na ilha.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACubaFidel Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.