Fidel Castro deve manter influência como chefe de partido

Fidel Castro deixa o cargo de chefe deEstado de Cuba no domingo, após 49 anos no poder, mas ao menosnos próximos meses é provável que continue a ter influênciasobre todos os aspectos do dia-a-dia de Cuba, e isso naqualidade de chefe do Partido Comunista Cubano (PCC). Raúl Castro, irmão de Fidel, deve ser confirmado como onovo presidente do país no domingo, em uma sessão da AssembléiaNacional. Fidel, 81, cujo estado de saúde é delicado, manterá oposto de primeiro-secretário do PCC. Segundo a Constituição cubana, esse é o cargo maisinfluente desse país de 11 milhões de habitantes. "O Partido Comunista de Cuba é a força dirigente maiselevada da sociedade e do Estado", diz a Constituição de 1976.Não há na ilha caribenha nenhum outro partido ou grupopolítico. Teoricamente, Fidel poderia usar seu cargo para bloquearquaisquer reformas sugeridas por Raúl que divirjam das opiniõesdele sobre o que seja uma sociedade socialista. "Já que Raúl prometeu implantar todas as mudanças sob abandeira do Partido Comunista, o fato de Fidel continuar a terpoder dentro desse órgão pode ter um impacto decisivo sobre oformato e a natureza dessas futuras reformas", afirmou DanErikson, especialista em questões cubanas do grupo DiálogoInteramericano, com sede em Washington. Na prática, ainda será preciso esperar para ver se Fidel,doente há mais de 18 meses, estará em condições de exercer opoder que acompanha o cargo partidário. "Significaria trair minha consciência aceitar umaresponsabilidade que requer mais mobilidade e dedicação do queestou fisicamente apto a oferecer", disse Fidel em sua mensagemde terça-feira, na qual anunciou seu afastamento daPresidência. O dirigente entregou o poder, em caráter temporário, a RaúlCastro em julho de 2006 após ter sido submetido a uma cirurgiaintestinal. Desde então, ele não aparece em público. Membros do PCC esperam que Fidel abra mão da liderança dalegenda dentro dos próximos 12 meses, quando o Congresso dopartido escolhe novos dirigentes, completando assim atransferência formal de poder para seus sucessores. Mesmo depois disso, no entanto, Fidel continuaria a ser umnome importante da política cubana, agora na qualidade de seuestadista veterano, escrevendo, dos bastidores, artigos a seremdivulgados pelos meios de comunicação oficiais. CONTROLE NO TOPO Fidel tem sido o primeiro-secretário do PCC -- com Raúl nocargo de segundo-secretário -- desde a fundação da legenda, em1965, seis anos depois de o movimento rebelde ter conquistado opoder. Integrantes do partido dizem que Raúl vinha assumindoresponsabilidades cada vez maiores mesmo antes de Fidel ter-lhetransferido o poder em caráter provisório, em 2006. Em vista da falta de acesso às atividades do Politburo doPCC, é impossível determinar qual a real participação de Fidelnos processos de tomada de decisão do partido. Acredita-se,porém, que ele continua a ser consultado quando assuntosimportantes são discutidos. O partido conta com uma profunda penetração na sociedadecubana. Seus 820 mil membros atuam por meio de células nos locaisde trabalho e nos bairros, além de estarem presentes nasassembléias municipais e provinciais. A grande maioria das famílias cubanas possui ao menos ummembro seu dentro do partido ou dentro da União de ComunistasJovens, o braço dele entre os cubanos mais novos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.