Fidel Castro diz que deseja escrever autobiografia

O ex-presidente cubano FidelCastro deseja escrever sua autobiografia e destinar o dinheiroarrecadado com a obra à publicação de textos para estudantes demedicina, afirmou o ex-líder em uma coluna divulgada nasegunda-feira pelo Granma, o jornal do governista PartidoComunista. Fidel, 81, renunciou duas semanas atrás, por motivos desaúde, ao cargo que ocupou por quase meio século. "Enquanto escrevo estas linhas, nesta tarde de domingo,reafirmo a idéia, se o tempo me permitir, de escrever minhasmemórias," disse o líder. "Se alguém pagar por elas, eu destinarei esse dinheiro paraa publicação em Cuba de textos voltados para nossosprofissionais da área da saúde," acrescentou. Desde que chegou ao poder com a revolução de 1959, Fidel, aúltima lenda viva da esquerda internacional, tem sido objeto dedezenas de biografias, a maioria delas não-autorizadas. Em 2006, foi publicado "Cien Horas con Fidel" (cem horascom Fidel), um livro com as entrevistas realizadas pelojornalista franco-espanhol Ignacio Ramonet. Esse seria otestamento político do ex-dirigente. Apesar de problemas de saúde impedirem-no de aparecer empúblico há mais de 19 meses, Fidel continua "bastante lúcido,"segundo afirmou Raúl Castro, irmão dele, que tomou posse comopresidente de Cuba há uma semana. Em sua mensagem de renúncia, Fidel prometeu que continuariacombatendo na condição de um "soldado das idéias," por meio dosartigos que publica há quase um ano na imprensa oficial da ilhacaribenha. Ainda que doente, Fidel continua a ser o chefe do PartidoComunista e a ter bastante influência sobre os rumos do país. Raúl consulta o irmão a respeito de todas as decisõesimportantes a serem tomadas pelo Estado. (Reportagem de Esteban Israel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.