Fidel Castro irá aparecer na televisão nesta segunda

De acordo com o jornal Granma, Fidel participará de um programa sobre atualidades

Associated Press

12 de julho de 2010 | 09h05

HAVANA - O jornal do Partido Comunista, Granma, disse nesta segunda-feira, 12, que Fidel Castro irá aparecer em um importante telejornal cubano pela primeira vez em pelo menos quatro anos.

 

O jornal disse que o reservado líder revolucionário deverá discutir suas preocupações sobre o Oriente Médio no "Mesa Redonda" - um talk show diário sobre eventos atuais que geralmente é transmitido ao vivo para toda a ilha.

 

A manchete diz "Nesta tarde, Mesa Redonda especial com Fidel".

 

O objetivo do programa televisivo, que será transmitido às 22h30 GMT, será "analisar os perigosos acontecimentos que tiveram lugar no Oriente Médio", indicou uma nota do portal do programa.

 

A "Mesa Redonda" - que nesta ocasião terá um caráter "Especial" - é um programa diário no qual as autoridades cubanas através de jornalistas, acadêmicos ou especialistas tentam expor suas posições sobre temas atuais e é transmitido em cadeia por rádio e televisão. 

 

No geral o programa é transmitido ao vivo e não se indicou se nesta ocasião se manterá o costume.

 

Castro não aparece em um programa desde uma séria doença em 2006 que o forçou a deixar o poder - primeiro temporariamente, depois permanentemente - e transferir o poder a seu irmão Raul.

 

Em uma ocasião nestes quatro anos, quando corriam boatos sobre sua morte, Fidel recebeu um dos jornalistas da "Mesa Redonda", mas em uma casa particular não identificada.

 

O Granma dedicou metade de sua capa desta segunda a Castro, já que além do anúncio publicou um das "Reflexões" intitulada "A Origem da Guerra" - sobre os perigos de um confronto bélico no Oriente Médio - e uma foto da visita ao Centro Nacional de Investigações Científicas (CNIC) que foram tiradas na quarta passada mas que acabaram sendo difundidas por blogueiros cubanos no final de semana passado.

 

Em várias colunas, inclusive a de segunda, Castro advertiu sobre as intenções da administração do presidente americano Barack Obama de atacar o Irã e desatar um conflito no qual se envolva Israel. Além das consequências do uso de armas nucleares e tecnologias avançadas postas a serviço de um massacre.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaFidel CastroRaul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.