Fidel Castro quer ajudar Obama, diz congressista dos EUA

Fidel Castro demonstrou estar saudável e perguntou como a liderança em Cuba poderia ajudar mais o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a normalizar as relações entre os dois países, disseram dois congressistas norte-americanos nesta terça-feira após encontro com o ex-presidente cubano, de 82 anos, em Havana.

REUTERS

07 de abril de 2009 | 20h08

"Claro, ele esteve doente. Mas acredito que concordamos que ele estava muito saudável, muito ativo, muito lúcido", disse a deputada norte-americana Barbara Lee, uma dos três democratas que se encontraram com Fidel, durante uma coletiva de imprensa em Washington.

A deputada Laura Richardson afirmou que Fidel Castro parecia estar ansioso para ver a mudança nas relações entre os dois países.

"Ele estava bem consciente sobre o que estava acontecendo", disse Richardson. "Quando ele se aproximou, ele olhou diretamente nos nossos olhos, bem consciente do que estava acontecendo, e nos disse 'Como podemos ajudar o presidente Obama?'".

Tudo o que sabemos sobre:
CUBAEUAFIDELOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.