Fidel denuncia tentativas de anexação de Cuba pelos EUA

Em nova série de artigos, presidente cubano retoma fatos históricos e denuncia tomada de Guantánamo

Efe,

15 de agosto de 2007 | 14h01

O presidente de Cuba, Fidel Castro, se referiu nesta quarta-feira, 15, à independência da ilha, no final do século XIX, para denunciar as tentativas de anexação por parte dos Estados Unidos, na primeira parte de nova "reflexão" publicada no jornal oficial Granma.   Veja também:  Leia o artigo na íntegra  Leia a íntegra dos artigos assinados por Fidel Castro   A imprensa oficial anunciou na terça-feira que o novo artigo de Fidel seria divulgado como uma série durante esta semana com o objetivo de que "fatos muito importantes e decisivos da História da Pátria sejam conhecidos pelas novas gerações".   A primeira parte do texto denuncia as tentativas de anexação por parte dos EUA após a independência colonial de Cuba, em 1898, e a aprovação da Emenda Platt. Foi ela que permitiu que Washington usasse o território cubano em função de seus interesses e ocupasse o que depois se tornaria a base naval de Guantánamo (leste do país).   A publicação da nova "reflexão" ocorre em meio ao aumento dos boatos sobre um suposto agravamento da doença intestinal que obrigou Fidel a delegar o poder ao irmão mais novo, Raúl, em 31 de julho de 2006.   Na segunda-feira, Cuba comemorou discretamente o aniversário de 81 anos do presidente cubano, que não aparece em público desde 26 de julho de 2006 e se mantém presente na vida do país por meio dos artigos que começou a publicar em março.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaFidel CastroEUAartigo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.