Fidel diz que discurso de Bush foi o pior em 'demagogia'

Líder cubano afirma que fala do presidente americano é repleta de "mentiras e total falta de ética"

Agência Estado e Associated Press,

30 de janeiro de 2008 | 13h55

O líder cubano Fidel Castro definiu o último discurso 'Estado da União' feito pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, nesta semana, como o pior de todos os discursos semelhantes do mandatário americano em "demagogia, mentira e falta total de ética." Os comentários de Fidel foram publicados nesta quarta-feira, 30. O líder de 81 anos escreveu que "Bush nos diz mais com as suas expressões externas que com as palavras escritas por seus assessores," disse Fidel, acrescentando que "para uma população que sabe como ler, escrever e pensar, ninguém oferece uma crítica mais elegante do império que o próprio Bush." Fidel e os funcionários mais graduados de Cuba freqüentemente se referem aos EUA como o "império." Fidel lembrou que a administração Bush aumentou os gastos militares em 60% e endividou o governo americano. Ele escreveu que a guerra liderada pelos EUA no Afeganistão "foi a mesma coisa que a URSS queria fazer, ocupar o país com suas poderosas forças armadas, que foram derrotadas."  Ele também afirmou que os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 aos EUA foram uma desculpa para invadir o Iraque mais tarde, e que "ninguém no mundo duvida que o objetivo era ocupar as instalações de petróleo do Iraque e isso custou centenas de milhares de vidas de iraquianos e milhões expulsos das suas casas."

Tudo o que sabemos sobre:
Fidel CastroEUACubaGeorge W. Bush

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.