Fidel diz que políticos dos EUA querem mudar relação

Segundo cubano, congressista americano disse que seu país deve 'pedir perdão pelos anos de hostilidade'

Efe,

07 de abril de 2009 | 02h31

O líder cubano Fidel Castro assegurou na segunda-feira, 6,, que um congressista americano que visita Cuba aceitou que seu país deve "pedir perdão" por "anos de hostilidade" e "bloqueio", e que outro legislador afirmou que Havana deve ajudar o presidente americano, Barack Obama, a mudar a política em relação à ilha.

 

Em artigo divulgado pela imprensa oficial local, o ex-presidente conta que um dos sete congressistas democratas que chegaram na sexta-feira a Havana disse "que os EUA não devem perder a oportunidade de reconhecer que a política em relação a Cuba foi um total fracasso".

 

"Ele disse ainda que seu Governo deveria pedir perdão a Cuba por todos esses anos de hostilidade e pela política de bloqueio, pois só assim estaríamos em condições de avançar juntos", afirma Fidel.

 

Segundo o artigo, um dos políticos americano disse ser "necessário utilizar esse momento histórico em que coincidem um presidente negro na Casa Branca e uma corrente de opinião propício à normalização das relações".

 

"Fui cuidadoso ao omitir os nomes dos autores de vários comentários porque não sei se lhes interessa ou não torná-los públicos", adverte o líder cubano.

 

Os sete congressistas democratas chegaram na sexta-feira passada a Havana, se reuniram nesta segunda com o presidente Raúl Castro e permanecerão até quarta-feira na ilha.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaFidel CastroEUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.