Fidel é sempre consultado sobre assuntos importantes

A afirmação foi feita pelo presidente interino de Cuba, Raúl Castro

EFE

25 de dezembro de 2007 | 02h31

O presidente interino de Cuba, Raúl Castro, irmão de Fidel, disse que o governante é sempre consultado sobre todas as decisões importantes do país. "Consultamos sua opinião sobre todas as questões principais, e por isso os dirigentes do Partido Comunista de Cuba defendem que ele seja postulado novamente como deputado da Assembléia Nacional, como um primeiro passo", disse hoje Raúl Castro num encontro com eleitores em Santiago de Cuba. O irmão mais novo de Fidel assumiu interinamente a Presidência em 31 de julho de 2006, quando o governante delegou seus cargos devido a uma grave doença intestinal. Raúl disse que seu irmão segue forte mentalmente, faz bastante exercício todos os dias, medita muito e escreve: "Podemos dizer que ele está bem diante das limitações impostas pela grave situação em que verdadeiramente se encontrou em outro momento. Goza de pleno uso de suas faculdades mentais, mas tem algumas pequenas limitações físicas em conseqüência dos problemas que sofreu. Também faz exercícios quase duas horas por dia e recuperou bastante peso e massa muscular", afirmou. Durante o encontro, o também ministro das Forças Armadas transmitiu uma mensagem de saudação de Fidel e defendeu o processo eleitoral cubano, que culminará no primeiro trimestre do próximo ano com a designação dos novos Conselhos de Estado e de Ministros. Além disso, o presidente interino rejeitou a crítica dos "inimigos" sobre a falta de eleições e democracia no país. Ele disse que os Estados Unidos possuem dois partidos, mas não há diferenças entre ambos. "Se tivéssemos em Cuba um partido comandado por Raúl e outro por Fidel, haveria alguma diferença? É a mesma coisa que acontece nos EUA", questionou. No entanto, ele disse que é bom existirem diferenças no Partido Comunista de Cuba e que, "se somos apenas um partido, temos de ser o mais democrático que existe". Durante a manhã, Raúl Castro esteve com os eleitores do distrito sete de Santiago, demarcação territorial pela qual foi designado candidato para as eleições gerais do próximo dia 20 de janeiro. Também por Santiago, Fidel Castro é candidato a integrar a Assembléia Nacional do Poder Popular (Parlamento) e, portanto, ser elegível para renovar seus mandatos à frente dos Conselhos de Estado e de Ministros, dos quais é atualmente presidente. No último dia 17, Fidel Castro falou pela primeira vez de seu papel no futuro da revolução com uma mensagem que gerou diversas interpretações. "Meu dever principal não é me aferrar aos cargos e tampouco obstruir a passagem de pessoas mais jovens, mas levar experiências e idéias cujo valor provém da época excepcional em que vivi", disse Fidel na mensagem. "Penso que é preciso ser conseqüente até o fim", completou.  Fidel Castro não aparece publicamente desde 26 de julho de 2006. Suas últimas imagens foram divulgadas em meados do último mês de outubro, durante uma visita do presidente venezuelano, Hug Chávez, a Santa Clara. O governante venezuelano aproveitou para realizar seu programa "Alô Presidente" e falar por telefone com o líder cubano por mais de uma hora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.