Filho do traficante brasileiro 'Pavão' é absolvido no Paraguai

José Martínez Mendi foi preso no país em 2007 por suspeita de tráfico de drogas e associação criminosa

Efe,

14 de setembro de 2010 | 22h17

ASSUNÇÃO- Um tribunal do Paraguai absolveu nesta terça-feira, 14, o brasileiro José Martínez Mendi, filho do narcotraficante Jarvis Chimenes "Pavão". Mendi foi processado e preso em Assunção por suspeita de tráfico de drogas e associação criminosa.

 

A decisão foi do tribunal integrado pelos juízes Silvio Reyes, Enrique Alfonso e María Báez, que alegaram "graves faltas" do Ministério Público e do juizado de instrução durante os processos prévios ao julgamento de Mendi e outras cinco pessoas.

 

Entre as faltas, citaram a omissão de tradutores brasileiros e algumas modificações nos expedientes não notificadas aos processados, alguns dos quais não puderam recorrer a advogados públicos.

 

O tribunal também especificou que o juiz de garantias (de instrução) Óscar Delgado apresentou em 14 dias a imposição de medidas contra os processados, quando a lei estabelece um prazo de três dias para a tramitação do procedimento.

 

Mendi, de 23 anos, e as outras cinco pessoas foram presas em 17 de agosto de 2007 em uma fazenda de "Pavão", nas localidade de Yby Yaú, próxima a fronteira com o Mato Grosso do Sul.

 

Durante a operação na qual o pai de Mendi conseguiu escapar, foram apreendidos 117 kg de cocaína.

 

Os demais beneficiados com a absolvição são Rafael Novaes Chimenes, irmão de "Pavão", e os empregados de uma das fazendas do traficante, Clemente Benítez, Mariano Peres, Manuel López e Bonifacio Coronel.

 

"Pavao", um dos traficantes mais procurados pelas autoridades do Paraguai e do Brasil, foi capturado dois anos depois, em 27 de dezembro de 2009 junto a Carlos Antonio Caballero, conhecido como "Capilo", en Yby Yau.

 

Chimenes é apontado como parte do bando de Fernandinho Beira-Mar, atualmente preso em uma penitenciária de segurança máxima em Campo Grande por homicídio e tráfico de drogas e armas, entre outros crimes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.