FMI doará US$ 100 milhões ao Haiti

Quantia é a maior já dada ao país, junto com as contribuições de EUA e do Banco Mundial

Efe,

14 de janeiro de 2010 | 14h07

O diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, anunciou nesta quinta-feira, 14, que a entidade fornecerá US$ 100 milhões "de forma imediata" ao Haiti, que foi atingido na terça-feira por um terremoto de magnitude 7 na escala Richter. Strauss-Kahn também disse que seria necessário um apoio maior do FMI e da comunidade internacional para reconstruir a nação caribenha.

 

O anúncio ocorre depois de o Banco Mundial dizer, na quarta-feira, que também fará uma doação de US$ 100 milhões. As contribuições das instituições monetárias são, junto com o anúncio da ajuda dos EUA, as maiores destinadas ao Haiti. As quantias, entretanto, devem ser aprovadas para que sejam enviadas.

 

O Banco Mundial estima que o Haiti, a nação Masi pobre da América, perderá mais de 15% do seu PIB por conta do tremor. Em 2008, o país já enfrentou a queda de 15% da sua já fraca economia por conta de tempestades tropicais. O prejuízo, porém, deve ser maior desta vez, já que a área mais afetada é Porto Príncipe, capital haitiana.

 

Estima-se que o PIB do Haiti, que em 2008 era de US$ 7 bilhões, teria caído para abaixo dos US$ 6 bilhões após as tempestades. Atualmente, 80% da população vive abaixo da linha de pobreza.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIHaititerremototerremoto no Haiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.