Forças de segurança liberam estrada na Argentina após protesto

A polícia argentina liberou nestesábado uma estrada ocupada por caminhoneiros e produtoresagrícolas, que protestavam contra o governo por uma série demedidas que afetam sua atividade. Pela manhã, caminhoneiros argentinos voltaram a bloquear aRota 14, essencial porque une o país aos vizinhos. Poucodepois, a polícia de fronteira fez uma advertência para queliberassem o caminho ou seriam acionados legalmente. Os caminhoneiros e os produtores simularam ter aceitadodeixar a estrada, mas romperam a barreira. Minutos depois, osagentes conseguiram arrastar os caminhoneiros para fora dapista. Na noite de sexta-feira, um setor de transportadoresacertou com as autoridades o fim do protesto, mas outrasentidades não fizeram o mesmo porque não vêem saída para adisputa de mais de três meses entre os produtores e o governosobre um recente aumento de impostos para a exportação degrãos. O conflito já provocou três greves dos produtores. Aindaque a última tenha sido há uma semana, os granjeiros seguemvendendo apenas o mínimo de mercadoria necessária parasobreviver --o que deixa os caminhoneiros sem nada paracarregar. "Não vemos outra solução, isso é desesperador", disse à TVum caminhoneiro na chamada rota do Mercosul, usada para levarmercadorias entre Brasil e Chile. O governo advertiu na sexta-feira que agirá junto à Justiçapara acabar com os bloqueios. Neste sábado, a presença deforças de segurança nas estradas era expressiva, mas apenasolhavam como os caminhoneiros se instalavam. "O transportador sabe do mal-estar por que passa oprodutor, que vai tratar de reter seu capital, os grãos. Oprodutor consegue alguns pesos e pode aguentar até que asituação melhore", disse a uma rádio Ricardo Buryaile, dasConfederações Rurais Argentinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.