Fornecimento de gás para o Brasil foi afetado, diz Petrobrás

Opositores bolivianos fecharam válvula de gasoduto; ação ainda não teve impacto para abastecimento do País

Da Redação, estadao.com.br

10 de setembro de 2008 | 22h01

A Petrobrás confirmou na noite desta quarta-feira, 10, que as ações dos opositores do presidente boliviano Evo Morales afetaram o fornecimento de gás natural para o Brasil. Mais cedo, a companhia petrolífera estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) havia anunciado que uma válvula de um gasoduto, localizado no Grande Chaco boliviano, no Departamento (Estado) de Tarija, foi danificada pelos manifestantes, que tentaram fechá-la violentamente.   Veja também: Enviada do 'Estado' mostra imagens dos protestos na Bolívia  Evo pede expulsão de embaixador americano Lula acompanha situação na Bolívia  Lobão nomeia dois secretários para monitorar crise Entenda os protestos da oposição na Bolívia Imagens das manifestações    Confira o comunicado na íntegra:   A Petrobras informa que, hoje, às 7 horas (horário de Brasília), uma válvula de segurança do gasoduto da Transierra, que supre o Gasoduto Bolívia-Brasil, na região Yacuíba (Bolívia), foi bloqueada por manifestantes e teve suas funções suspensas.   Também hoje, o campo de produção de Volta Grande, operado por outra empresa concessionária, foi invadido e teve sua produção paralisada. Essas ações afetaram parcialmente o fornecimento de gás natural da Bolívia para o Brasil, até esse momento sem impacto para o abastecimento brasileiro.   Como é de conhecimento público, intensas manifestações têm ocorrido na Bolívia nas últimas semanas.A Petrobras está adotando medidas operacionais previstas em seu plano de contingência para reduzir o impacto dessas ações no abastecimento de gás natural no país.   Adicionalmente, a Companhia toma as providências para recuperar, o mais rápido possível, os danos causados na válvula de segurança.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.