Forte terremoto não provoca danos na região central do Chile

Um terremoto de magnitude 7,1 sacudiu no domingo o centro-sul do Chile, em um dos tremores mais fortes desde o devastador abalo sísmico que atingiu o país em 2010, o que forçou a retirada preventiva de milhares de famílias em algumas áreas costeiras, mas que não deixou danos nem feridos graves.

REUTERS

26 Março 2012 | 07h39

O tremor balançou edifícios altos na capital chilena, localizada 200 quilômetros ao norte do epicentro, e fez autoridades ordenar a retirada de 7 mil pessoas no litoral depois de identificar alguns movimentos anormais nas águas do oceano Pacífico.

Contudo, as minas de cobre do primeiro produtor mundial do metal operavam com normalidade na região afetada.

"Felizmente, neste instante, a situação está sob controle", disse o presidente do Chile, Sebastián Piñera, desde a Coreia do Sul.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos afirmou que o terremoto, que aconteceu às 19h37, teve seu epicentro 32 quilômetros a noroeste da cidade de Talca, a uma profundidade de 35 quilômetros, muito perto da localização do tremor de 2010.

O Serviço Sismológico da Universidade do Chile, no entanto, informou que o tremor teve magnitude 7 e registrou pelo menos cinco réplicas de menor intensidade.

A Marinha do Chile disse que o terremoto não provocou condições para um tsunami, mas o Escritório Nacional de Emergência (Onemi) ordenou a retirada preventiva em algumas das localidades afetadas pelo abalo e tsunami de 27 de fevereiro de 2010.

(Reportagem de Alexandra Ulmer, Fabián Cambero, Antonio de la Jara, Anthony Esposito e Javier Leira)

Mais conteúdo sobre:
CHILE TERREMOTO DANOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.