França deve julgar militares do governo Pinochet à revelia

A França deve julgar 17 chilenos àrevelia devido ao desaparecimento de quatro franceses oufranco-chilenos no Chile, durante o governo do ditador AugustoPinochet, afirmou na segunda-feira o gabinete doprocurador-geral do país europeu. Os 17 réus, a maior parte dos quais oficiais das ForçasArmadas, devem ir a julgamento devido a acusações de "detençãoarbitrária acompanhada ou seguida de tortura e atos bárbaros",no período de 1973 a 1975, disse o órgão. Pinochet, que comandou o Chile de 1973 a 1990, foi acusadode participação no desaparecimento dos mesmos quatro franceses.Mas morreu em dezembro de 2006, sem nunca ir a julgamento. Entre os réus, cujo julgamento deve acontecer em uma cortede Paris a partir da segunda metade de maio, estão o generalManuel Contreras, ex-chefe da polícia secreta do Chile (Dina),e Paul Schaeffer, que liderou uma comunidade chamada Dignidad,usada, segundo a oposição chilena, pelas forças repressoras dePinochet como centro de tortura. Os quatro franceses desaparecidos são um ex-conselheiro dopresidente esquerdista Salvador Allende, deposto por Pinochetno golpe de 1973, um padre e dois membros do MovimentoEsquerdista Revolucionário (MIR). (Reportagem de Thierry Leveque)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.