França oferece avião para libertação de Ingrid Betancourt

Governo não confirma informações sobre libertação da refém; estado de saúde dela seria preocupante

Agências internacionais,

30 de março de 2008 | 23h06

O governo francês afirmou neste domingo, 30, que disponibilizou um avião com equipe médica pronto para decolar a qualquer momento se a guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) decidir libertar a ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada desde 2002. O Palácio do Eliseu, no entanto, ressaltou que não tem nenhuma informação sobre uma possível libertação e afirmou que o avião está na França pronto para "qualquer eventualidade" relacionada com a refém.   Veja também:  França receberá rebeldes das Farc, diz Álvaro Uribe França tem avião na Guiana preparado para Betancourt Conheça a tragetória de Ingrid Betancourt  Ex-marido teme que acordo signifique morte de Betancourt Uribe autoriza troca de Ingrid por rebeldes das Farc Por dentro das Farc  Entenda a crise   Histórico dos conflitos armados na região      Um informe inicial da presidência afirmava que um avião Falcon 900 estava na Guiana Francesa e ali ficaria até a segunda-feira, 31, quando seria substituído por outro avião. O Exército francês, porém, afirmou que a aeronave voltou neste domingo para a França.   Segundo informações recentes, o estado de saúde de Ingrid, que sofre de hepatite B e leishmaniose, é preocupante. Neste domingo, seu ex-marido, Fabrice Delloye, afirmou que as recentes medidas anunciadas por Bogotá podem indicar que o governo tenha dados que confirmem a morte de Ingrid.   Bogotá disse no sábado que Paris está disposta a receber ex-guerrilheiros das Farc como parte de um acordo para libertar Ingrid e outros reféns. A proposta foi confirmada pelo premiê francês, François Fillon, que se referiu aos rebeldes como "prisioneiros políticos". A medida faz parte de um pacote de ofertas anunciadas pelo presidente colombiano, Álvaro Uribe, na sexta-feira para convencer os rebeldes a libertarem os reféns.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcIngrid Betancourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.