'Franklin vive na luta do povo venezuelano', diz carta da família

Leia na íntegra a carta da família Brito, após morte do produtor agrícola, Franklin Brito, que protestava por ter perdido suas terras

estadão.com.br

31 de agosto de 2010 | 04h51

SÃO PAULO - Após a confirmação da morte do agricultor, Franklin Brito, a família divulgou uma carta em que expressa a indignação pela falta de resposta por parte do governo de Hugo Chavez sobre o caso. Brito permanecia em greve de fome, após uma suposta desapropriação de suas terras. Leia abaixo a carta da família na íntegra, que foi retirado do jornal El Nacional.

Veja também:

linkOpositor a Chávez morre após oito greves de fome

Depois de uma luta de mais de seis anos, mais de oito greves de fome, a mutilação de um dedo e que tinha sido vítima de privação ilegal da liberdade, o corpo de Franklin Brito deixou hoje para realizar as funções vitais.

Isso não significa, porém, que Franklin Brito morreu. Franklin vida na luta do povo venezuelano pelo direito de propriedade, acesso à justiça, à vida em liberdade e respeito dos governos pelos direitos humanos, individuais e colectivos. Franklin Brito deixa de ser carne para se tornar um símbolo e uma bandeira de todos os atingidos pela arrogância do poder, aos ofendidos pela arrogância dos governantes, para aqueles que acreditam que a verdade e a justiça são sempre acima das circunstâncias e conveniências .

O corpo de Franklin Brito morreu no serviço militar, onde permaneceu detido contra a sua vontade. O governo do presidente Hugo Chávez, ignorou o pedido de Franklin, o grito de sua família e os pedidos dos organismos internacionais para permitir o acesso a assistência médica, que tinha escolhido para si e, portanto, digno de sua confiança. Por isso, a família Brito agora se abstenha de emitir opiniões sobre as causas directas da morte, sob as circunstâncias incomuns e desumano em torno do incidente.

Mas o que podemos dizer dele é que a luta do Franklin Brito continua. Nós, sua família, continue a lutar pela herança de seus filhos. E o seu sacrifício não será em vão, enquanto as crianças da Venezuela também estão dispostos a defender o patrimônio físico e moral da nação.

Em momento posterior, quando a dor nos permite, vamos emitir um novo comunicado. Agora sabemos que a Venezuela não conseguiu superar a agressão a Franklin Brito, a ameaça não pode assustar e não podia dobrar sua oferta de corrupção. Isso e muito mais, nesses tempos de morte e dor Franklin Brito é um símbolo da decência e da vida.

Estamos confiantes de que a alma do Franklin, do reino de nosso Senhor Jesus Cristo, nós continuaremos a luz. Porque sua luta para estar lutando todos o tempo todo!

Elena Rodrigues de Brito

Angela Brito Rodriguez

França Brito Rodriguez

Franklin José Brito Rodrigues

Franklin José Brito Rodrigues

Caracas, Hospital Militar

Segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.