Fujimori deve ser operado de lesão pré-cancerígena na quinta

Ex-presidente peruano deixa a prisão para remover leucoplasia na língua; julgamento é suspenso

Efe,

05 de junho de 2008 | 07h27

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori (1990-2000) foi internado na quarta-feira no Instituto Nacional de Doenças Neoplásicas (Inen) de Lima, onde será operado nesta quinta, 5, de uma lesão pré-cancerígena na língua. O ex-governante foi transferido de ambulância da prisão policial do distrito de Ate-Vitarte onde permanece detido, até o Inen, no distrito de San Borja. Fujimori participou na manhã de quarta de uma breve audiência do processo no qual é acusado de violações dos direitos humanos, após a qual a Corte Suprema confirmou a suspensão do julgamento até a próxima quarta-feira.  Segundo uma junta médica, o ex-governante sofre de uma pequena lesão pré-cancerígena na língua, conhecida como leucoplasia, da qual já foi operado há dez anos. Na terça-feira da semana passada, Fujimori foi submetido a exames de sangue, de pressão arterial, radiografias, tomografias e testes de ressonância magnética, como parte das avaliações de risco cirúrgico ordenadas pelos cirurgiões. O ex-governante assinalou há duas semanas que a leucoplasia havia reaparecido, e que um médico lhe receitara um remédio para iniciar um processo de observação. Poucos dias depois, sentiu dores intensas na boca, sangramento na língua e um hematoma, que forçaram a suspensão de uma das sessões de seu julgamento. A operação de Fujimori estará sob o controle do Instituto de Medicina Legal, questionado pelo ex-líder por supostamente ter minimizado sua lesão e dado um tratamento político à sua situação. O ex-presidente é processado pelo assassinato de 25 pessoas em Barrios Altos (1991) e La Cantuta (1992) e pelos seqüestros de um jornalista e um empresário em 1992, casos pelos quais pode ser condenado a até 30 anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
PeruAlberto Fujimori

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.