Fujimori diz que vai se candidatar ao Senado japonês

Ex-presidente peruano, de 68 anos, cumpre prisão domiciliar no Chile e é acusado de violar os direitos humanos

Agências internacionais, Agencia Estado

27 Junho 2007 | 16h27

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori aceitou concorrer a uma vaga no Senado do Japão por um pequeno partido político, disse ele, segundo o canal NTV. "Aceito o pedido do Partido Popular para me candidatar", afirmou Fujimori em entrevista publicada no site do canal japonês. "Quero usar meus 10 anos de experiência na presidência do Peru para trabalhar pelo Japão", afirmou Fujimori, que é descendente de japoneses. Segundo a agência de notícias japonesa Kyodo, o ex-presidente "parece" que vai se candidatar a uma vaga na Câmara Alta. Nenhum partido japonês, porém, confirmou a notícia. Fujimori, de 68 anos, está em Santiago, sob prisão domiciliar, à espera de uma decisão da Justiça chilena sobre um processo de extradição para o Peru. O ex-presidente chegou de surpresa ao Chile em novembro de 2005, depois de morar cinco anos no Japão, onde se refugiou quando seu governo foi deposto. O Peru acusa Fujimori de abuso aos direitos humanos e corrupção durante seu mandato (1990-2000). A lei eleitoral japonesa não impede presos políticos de concorrerem em eleições no país. "Esta é minha esperança. Acho que poderei fazer isso", afirmou Fujimori. O minoritário Novo Partido dos Cidadãos (Kokumin Shinto Nippon), que conta apenas com 10 deputados no governo, já havia convidado Fujimori para concorrer à Câmara Alta nas próximas eleições de julho. Espera-se que Fujimori confirme sua participação na corrida eleitoral ainda esta semana. Fujimori foi libertado em 2006, com a condição de que ele não deixasse o Chile, mas no início do mês ele foi colocado sob prisão domiciliar.

Mais conteúdo sobre:
Fujimori candidato japonês

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.